Em Memória de Jorge Sampaio

Em Memória de Jorge Sampaio

 
 

A GARE- Associação para a Promoção de uma Cultura de Segurança Rodoviária, manifesta o seu profundo pesar pelo falecimento do Ex-Presidente da República Jorge Sampaio, Sócio Honorário nº1 desta Associação.
Não podemos deixar de salientar a sua intervenção na Promoção da Segurança Rodoviária, considerando ele que a segurança rodoviária estava diretamente relacionada com a capacidade da sociedade em exercer a cidadania. E que enquanto Presidente da República promoveu uma Presidência temática, que percorreu o País, dedicada ao tema da Segurança Rodoviária, envolvendo a sociedade civil e entidades públicas e privadas. Esta Presidência temática terminou em Évora no dia 4 de maio de 2005, Dia Nacional da Cortesia ao Volante, com uma sessão no salão Nobre da Câmara Municipal de Évora, antecedida de um evento de inauguração do Jardim da Memória, dedicado às vítimas da Estrada.
Nesse sentido, estando agendado para hoje um debate promovido pela GARE com os candidatos à presidência da Câmara Municipal de Évora sobre Mobilidade e Segurança Rodoviária, não podemos deixar de o suspender adiando-o para data oportuna.
E não deixaremos de honrar a memória de Jorge Sampaio no exercício de uma cidadania ativa em prol de uma cultura de segurança rodoviária.
A Presidente da Direção
Filomena Araújo
Campanha de sensibilização sobre os acidentes rodoviários na ESAG

Campanha de sensibilização sobre os acidentes rodoviários na ESAG

Alunas do Curso Profissional Técnico de Juventude da Escola Secundária André de Gouveia, que fizeram formação em contexto de trabalho na GARE, irão realizar uma Campanha de sensibilização sobre os acidentes rodoviários de modo a consciencializar a população, principalmente a escolar, sobre os perigos da estrada.

Esta campanha irá realizar-se dia 16 de junho de 2021, a partir das oito (8) horas na Escola Secundária André de Gouveia em Évora, mantendo a colaboração com a GARE.

Morrem em média, anualmente, 1,35 milhões de pessoas. Ou seja, significa que morrem cerca de 3700 pessoas por dia ou então UMA PESSOA a cada 24 SEGUNDOS. Cabe-nos a nós alterar estes números. Se beber, não conduza.

Campanha Streets for Life exige 30 km/h nas ruas urbanas para garantir cidades seguras, saudáveis, verdes e habitáveis

Campanha Streets for Life exige 30 km/h nas ruas urbanas para garantir cidades seguras, saudáveis, verdes e habitáveis

17 de maio de 2021, marca o início da 6ª Semana Global de Segurança no Trânsito da ONU, destacando os benefícios das ruas de baixa velocidade em áreas urbanas e conclamando os legisladores a limitar as velocidades a 30 km/h nas ruas onde há pedestres e ciclistas e outros que estão em maior risco se misturam ao tráfego motorizado. Todos os anos, mais de 1,3 milhão de pessoas morrem em acidentes de trânsito – ou seja, uma pessoa a cada 24 segundos. A velocidade excessiva está no cerne do problema de lesões causadas pelo trânsito. Estima-se que 40-50% das pessoas dirigem acima do limite de velocidade, com cada aumento de 1 km/h na velocidade resultando em um aumento de 4-5% em acidentes fatais. O risco de morte e ferimentos reduz consideravelmente quando as velocidades são reduzidas. Desde o início de 2020, a mobilidade diminuiu em geral devido aos bloqueios do COVID-19 e às pessoas que trabalham em casa. Isso levou a menos acidentes de trânsito; no entanto, os números de fatalidades não diminuíram na mesma proporção porque as pessoas dirigem em velocidades mais altas.

“Precisamos de uma nova visão para criar cidades seguras, saudáveis, verdes e habitáveis”, observa o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS). “As ruas de baixa velocidade são uma parte importante dessa visão. Conforme nos recuperamos e reconstruímos do COVID-19, vamos construir estradas mais seguras para um mundo mais seguro. ”

“Muitos de nós em todo o mundo estamos tomando as ruas e exigindo mudanças”, afirma Zoleka Mandela, Embaixadora Global da Iniciativa de Saúde Infantil. “Queremos velocidades baixas, queremos ruas habitáveis ​​e comunidades onde possamos caminhar com segurança, onde nossos filhos possam chegar à escola ilesos. Solicitamos limites de velocidade de 30 km/h. Acima de 30 é uma sentença de morte. ” A Sra. Mandela, neta de Nelson Mandela, perdeu sua filha de 13 anos, Zenani, em um acidente de trânsito na África do Sul em 2010.

O Dr. Tedros e a Sra. Mandela juntaram-se aos chefes de muitas agências da ONU e internacionais, organizações da sociedade civil, fundações e empresas privadas na assinatura de uma Carta Aberta pedindo limites de velocidade de 30 km / h em cidades em todo o mundo e destacando a necessidade urgente e essencial de fazê-lo atingir a meta da Década de Ação para a Segurança no Trânsito 2021-2030 e as Metas Globais em geral.

A Declaração de Estocolmo sobre Segurança Rodoviária de fevereiro de 2020 reflete a determinação dos Estados Membros de abordar a gestão da velocidade como uma intervenção chave de segurança rodoviária, em particular para “fortalecer a aplicação da lei para prevenir o excesso de velocidade e determinar uma velocidade máxima de viagem de 30 km/h conforme apropriado nas áreas onde usuários vulneráveis e veículos se misturam de maneira frequente e planejada … ”

A Declaração de Estocolmo ressalta que os esforços para reduzir a velocidade têm um impacto benéfico na qualidade do ar e nas mudanças climáticas, além de serem vitais para reduzir as mortes e lesões causadas pelo trânsito.

A Declaração de Estocolmo baseou seu apelo por ruas de baixa velocidade em estudos das últimas décadas em cidades como Graz, Áustria; Londres, Reino Unido; Nova York, EUA; e Toronto, Canadá, que indicou que os limites de velocidade de 30 km/h produziram reduções – muitas vezes significativas – em acidentes de trânsito, feridos e mortes. As evidências mostram que as ruas de 30 km/h, onde as pessoas se misturam ao trânsito, não só salvam vidas, mas também promovem caminhadas, ciclismo e uma mudança para a mobilidade com emissão zero de carbono.

Em linha com a Declaração de Estocolmo, o Plano Global para a nova Década de Ação para a Segurança Rodoviária 2021-2030 reflete o valor intrínseco da gestão da velocidade. Conforme observado no documento Gerenciando a velocidade da OMS, cinco ações para fazer #StreetsforLife são:

  • Construir ou modificar estradas para incluir recursos que acalmam o tráfego
  • Estabelecer limites de velocidade adequados para a função de cada estrada
  • Aplicar limites de velocidade
  • Instalar tecnologias no veículo
  • Consciencializar sobre os perigos do excesso de velocidade

“As ruas de baixa velocidade são o coração de cada comunidade”, observa o Dr. Etienne Krug, Diretor do Departamento de Determinantes Sociais da Saúde, OMS. “Peço às autoridades que reduzam os limites de velocidade urbana para 30 km/h, onde pedestres e ciclistas se misturam com outros veículos, como um passo para devolver as ruas às pessoas e garantir que elas protejam a saúde e o meio ambiente. As ruas de baixa velocidade são ruas para a vida. ”

A 6ª Semana Global de Segurança no Trânsito da ONU realiza-se de 17 a 23 de maio de 2021, com centenas de atividades planejadas e patrocinadas por ministérios governamentais, agências da ONU, organizações da sociedade civil e empresas privadas. A semana busca angariar compromissos políticos em nível nacional e local para cumprir limites de velocidade de 30 km/h em áreas urbanas; gerar apoio local para tais medidas de baixa velocidade; e criar impulso para o lançamento do Plano Global para a Década de Ação para Segurança no Trânsito 2021-2030 e a Reunião de Alto Nível da Assembleia Geral da ONU em 2022. Signatários da Carta Aberta Streets for Life pedem um foco em ruas habitáveis e uma velocidade máxima de viagem na estrada de 30 km/h, onde usuários vulneráveis ​​da estrada e veículos se misturam. Eles exigem que esta abordagem esteja na vanguarda da nova Década de Ação para a Segurança no Trânsito 2021-2030 para atingir os Objetivos Globais.

https://www.unroadsafetyweek.org/en/home